Número verde: 800 108 675

Magna
Magma Magma
Teatro Carlos Alberto 15-17 Fev 2018
qui+sex21:00 sáb 19:00

É a primeira vez de Flávio Rodrigues na programação do TNSJ, artista que vem construindo desde 2006 – o ano do inaugural Tarde Demais Mariana – uma obra que interroga as fronteiras de corpo, identidade e género, a partir de linguagens que intercetam dança, performance e som. Magma – No Limite da Selvajaria, que o TNSJ coproduz e apresenta em estreia absoluta, sucede a Efígie (2017), projeto constituído por cinco objetos autónomos, o segundo dos quais, Chorus Landscape, foi apresentado na última edição do Festival Dias da Dança. Magma é um solo que explora um imaginário onde a violência e o poder colapsam na solidão e no silêncio. É, nas palavras de Flávio Rodrigues, “uma guerra sem guerra, a sós”, uma caminhada solitária carregada de memórias, metáforas, medo, silêncio, dor, coragem, amor, desistência e resistência. Magma constrói-se a partir da ausência, onde os objetos sonoros, cénicos e coreográficos se tornam presentes nas analogias, interferências e conexões estabelecidas entre si, concorrendo para a construção de uma narrativa poética, um ato revolucionário que transporta em si os medos e os paradoxos da existência. “Bem-vindos à guerra niilista.”

criação e interpretação

Flávio Rodrigues

conceção técnica

Daniel Oliveira

intérprete no processo

Bruno Senune

apoio vocal

André Santos

consultoria no figurino

David Pinto

consultoria sonora

Gustavo Costa

aconselhamento artístico

Carlota Lagido

documentação

Telma João Santos

coprodução

Flávio Rodrigues, TNSJ

apoio

Associação Útero

dur. aprox. 50’

M/6 anos

Material de Apoio

Documentos

Doumento PDF

Programa de sala Magma.pdf