Número verde: 800 108 675

Montanha-Russa
Montanha-Russa Montanha-Russa
Vários locais 10 Abr-1 Jul 2018

Antes de escalarem esta Montanha-Russa, Inês Barahona e Miguel Fragata quiseram saber das palavras e das ideias dos adolescentes. Recolheram diários, letras, imagens, canções, provocaram perguntas e recolheram respostas sobre as suas vidas e visões do mundo. Montanha-Russa é uma digressão sobre a adolescência com muita música dentro. À dupla da companhia Formiga Atómica juntou-se Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves, o duo dinâmico da banda portuense Clã. Juntos, constroem um espetáculo em que o teatro e a música disputam o palco, desafiando as convenções do “teatro musical” como quem desafia as leis da gravidade num loop. Mas desafia também os lugares-comuns da adolescência, esse lugar de fronteira e de passagem que é aqui observado a partir de uma perspetiva íntima e confessional, uma dimensão secreta, privada, interior, mas que vive no desejo de ganhar um palco onde se possa exibir. Montanha-Russa é assim uma espécie de diário deixado em cima da mesa, o diário destilado nas redes sociais ou o diário perigosamente transportado para o liceu: uma intimidade a gritar “leiam-me!”, uma geração a querer fazer-se ouvir, ao som da música. Este projeto completa-se com a exibição de Canção a Meio, um filme de Maria Remédio que documenta o longo processo de criação do espetáculo, e com a festa Teen Friendly, onde não faltará muita animação para celebrar a verdadeira montanha-russa que é a adolescência.

de Inês Barahona e Miguel Fragata/Formiga Atómica

encenação

Miguel Fragata

dramaturgia

Inês Barahona

música original

Hélder Gonçalves

movimento

Marta Silva

desenho de som

Nelson Carvalho

desenho de luz

José Álvaro Correia

cenografia

F. Ribeiro

figurinos

José António Tenente

vídeo

Henrique Frazão

produção executiva

Sara Cipriano (Formiga Atómica)

interpretação

Anabela Almeida, Bernardo Lobo Faria, Carla Galvão, Miguel Fragata eHélder Gonçalves, Manuela Azevedo, Miguel Ferreira, Nuno Rafael (música ao vivo)

coprodução

Formiga Atómica, Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Virgínia, TNSJ

coprodução na fase de pesquisa

Festival Terres de Paroles

estreia 9Mar2018 Teatro Nacional D. Maria II (Lisboa)

dur. aprox. 1:30

M/12 anos

 

Digressão

10+11 abr

Festival Terres de Paroles (França)

21 abr

Tempo – Teatro Municipal de Portimão

28 abr

Teatro Virgínia (Torres Novas)

11 mai

Teatro Municipal de Vila Real

25 mai

Centro Cultural Gil Vicente (Sardoal)

30 jun + 1 jul

Teatro Municipal Baltazar Dias (Funchal)

.

Divulgação

Sugestão

Sugira a um Amigo

O seu Nome

O seu Email

Emails dos Destinatários

Comentário

Imprimir Espectáculo

Icon de Página de Impressão