Número verde: 800 108 675

What a rouge am I! - ID 979
What a Rogue am I! What a Rogue am I!
Teatro Rivoli
sex
21:30

“Oh, what a rogue and peasant slave am I!” (“Ai como eu sou vilão, boçal, escravo!”) É do desencanto de Hamlet que vem o título, mas a matéria de que se faz a nova criação do Teatro Experimental do Porto é sobretudo devedora de uma constelação de romances britânicos do pós-Segunda Guerra Mundial, onde encontramos um tipo de anti-herói conhecido por rogue – alguém que facilmente tomaríamos por um vagabundo, um marginal, uma criatura sem princípios, uma carta fora do baralho. Com texto de Rui Pina Coelho, What a Rogue am I! dialoga com obras de escritores como Joyce Cary, Iris Murdoch, John Wain, Kingsley Amis, John Braine e Alan Sillitoe, confrontando-nos com um casal que lembra parelhas como as de Bonnie e Clyde ou Mickey e Mallory de Natural Born Killers… Uma nova etapa no percurso de questionamento social, político e filosófico que o encenador Gonçalo Amorim vem desenvolvendo à frente do TEP.

texto

Rui Pina Coelho

a partir da monografia What about the Rogue? Survival and Metamorphosis in Contemporary British Literature and Culture (2011), de Ana Raquel Lourenço Fernandes

encenação

Gonçalo Amorim

cenografia e figurinos

Catarina Barros

desenho de luz

Francisco Tavares Teles

assistência de encenação

Filipe Abreu

assistência de cenografia

Renato Ribeiro

sonoplastia

Filipe Abreu, Gonçalo Amorim

vídeo

Renato Ribeiro, Filipe Abreu, Gonçalo Amorim

interpretação

Ana Brandão, Cláudio da Silva

coprodução

Teatro Experimental do Porto, Teatro Municipal do Porto

Material de Apoio

Documentos

Doumento PDF

Programa Showcase-UTE.pdf

€ 7,50