Número verde: 800 108 675

5 Sentidos – Rede de Programação Cultural

A rede 5 Sentidos foi criada em 2009, no âmbito do QREN 2007-2013, com o intuito de promover a programação cultural e a produção artística em rede. Atualmente composta por onze equipamentos culturais do país, a 5 Sentidos procura apoiar e dinamizar o desenvolvimento das artes performativas em Portugal organizando digressões de espetáculos e apoiando a produção de novas criações através de cofinanciamentos, coproduções e residências. A estratégia da rede 5 Sentidos – assente na troca de saberes, processos e experiências de trabalho – visa fortalecer o desempenho dos parceiros, dinamizar a criação artística e alargar os públicos.

Os equipamentos que integram esta rede de programação cultural são:

Centro Cultural Vila Flor (Guimarães)

Centro de Artes de Ovar

Espaço do Tempo (Montemor-o-Novo)

Maria Matos Teatro Municipal (Lisboa)

Teatro Académico Gil Vicente (Coimbra)

Teatro Micaelense (Ponta Delgada)

Teatro Municipal da Guarda

Teatro Municipal do Porto - Rivoli e Campo Alegre

Teatro Nacional São João (Porto)

Teatro Virgínia (Torres Novas)

Teatro Viriato (Viseu)

 

Em 2017, a rede 5 Sentidos coproduz, apoia e apresenta as seguintes obras:  

Tundra, de Luís Guerra | Estreia: março de 2017;

O Olhar de Milhões, de Raquel Castro | Estreia: Novembro de 2017.

 

ESTUDO SOBRE A REDE DE PROGRAMAÇÃO CULTURAL - REDE 5 SENTIDOS

A rede de programação 5 SENTIDOS disponibiliza o ESTUDO SOBRE A REDE DE PROGRAMAÇÃO CULTURAL elaborado pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. O estudo analisa a atividade da rede 5 Sentidos, centrando-se no período entre 2005 e 2009, durante o qual usufruiu de financiamento no âmbito da medida de apoio às Redes de Equipamentos Culturais – Programação Cultural em Rede (Planos Operacionais Regionais – QREN 2007-2013).

Percorrendo a história da constituição da 5 Sentidos e analisando em detalhe a atividade colaborativa entre os 5 Teatros que compunham a rede durante o período considerado (Teatro Viriato – Viseu, Centro Cultural Vila Flor – Guimarães, Teatro Municipal da Guarda, Teatro Virgínia – Torres Novas e Teatro Municipal Maria Matos – Lisboa), o estudo sonda de forma mais ampla as virtudes, os desafios e os dilemas do trabalho de cooperação cultural em rede. Trata-se, por isso, de um estudo que, incidindo sobre o caso específico da 5 Sentidos, procura simultaneamente ponderar os processos, as dinâmicas e as dimensões críticas que emergem da organização da atividade cultural em rede. Nesse âmbito, concede especial atenção aos condicionalismos que o modelo específico de apoio financeiro (a medida de apoio às Redes de Equipamentos Culturais) impôs a esse modo de organização. Se a sondagem da atividade da 5 Sentidos se revela muito relevante para a compreensão dos processos contemporâneos de reorganização da atividade cultural e artística em Portugal, a avaliação do modelo de financiamento público através do QREN revela-se decisiva para o questionamento do modo como as políticas públicas atuam no domínio cultural, sobretudo aquelas que são dirigidas ao fomento do trabalho cultural em rede.

ESTUDO SOBRE A REDE DE PROGRAMAÇÃO CULTURAL - REDE 5 SENTIDOS