N茫o pares de escutar

CRISTINA GRANDE*

I need my memories. They are my documents. - Louise Bourgeois

A mem贸ria que possuo de The Show Must Go On 茅 hoje descont铆nua e imprecisa. Mas a possibilidade de reaver o espect谩culo para lhe restituir a sua import芒ncia na minha hist贸ria da dan莽a contempor芒nea, e celebrar a sua apresenta莽茫o no Teatro Nacional S茫o Jo茫o, determinou a escolha.

Lembro-me de que tinha uma grande expectativa de assistir a esta pe莽a. A autoria do core贸grafo J茅r么me Bel, a resson芒ncia cr铆tica e a sua integra莽茫o no festival PoNTI 鈥 um evento de refer锚ncia internacional na cidade, pelos teatros do mundo que nos dava a descobrir 鈥 foram motiva莽玫es essenciais.

The Show Must Go On foi buscar o t铆tulo 脿 can莽茫o dos Queen. O palco do Teatro Nacional S茫o Jo茫o estava vazio de adere莽os e na obscuridade. 19 can莽玫es pop tinham sido alinhadas para ser escutadas na 铆ntegra, colocadas por um DJ com um leitor de CD e uma consola de luz. 20 performers amadores e 20 bailarinos profissionais aguardavam a entrada no palco. 鈥淭onight鈥 (West Side Story), de Jim Bryant e Marni Nixon, e 鈥淟et the Sunshine In鈥 (Hair), de Galt MacDermot, surgiram como ep铆logo. 鈥淐ome Together鈥, dos Beatles, marcou a entrada dos performers no palco.

80 minutos de uma experi锚ncia desarmante e absolutamente inesperada. Est谩vamos perante uma representa莽茫o teatral que se misturava com a singularidade da nossa vida. Onde estava o espect谩culo? E o que faz铆amos ali como espectadores?

Aparentemente simples mas fenomenologicamente complexo, The Show Must Go On apresentou-nos uma lista de can莽玫es de culto que se foram sucedendo em palco para nos interpelar atrav茅s da sua associa莽茫o 脿s nossas mem贸rias, como ecos de experi锚ncias e de lugares que j谩 n茫o habit谩vamos mas que ainda existiam em n贸s.Fomos 鈥渙bservadores-ouvintes鈥 de imagens constru铆das, dan莽adas e accionadas ao longo de um tempo tranquilo, marcado pela temporalidade que cada can莽茫o impunha e inspirava.

Esta sequ锚ncia-partitura de can莽玫es pop remetia-nos para recorda莽玫es pessoais, vividas individualmente, originando a sensa莽茫o de que a pe莽a sucedia sobretudo 鈥渘as nossas cabe莽as鈥.

Inerente a cada uma das can莽玫es residia uma ironia oculta, materializada na explora莽茫o de imagens-clich茅 que nos reenviavam para um sentimento melanc贸lico mas tamb茅m divertido, onde admit铆amos, fascinados, que 鈥渁quilo era sobre n贸s鈥.

Nesta discursividade, resgatava-se uma experi锚ncia privada mas tamb茅m um sentimento comunal, reconhec铆vel na cumplicidade e na emo莽茫o que invadiu a sala. Recordo-me de observar a plateia esgotada e reactiva 脿 medida que as can莽玫es e os gestos performativos, impermanentes e inusitados, se iam acumulando. Lembro-me de que a can莽茫o 鈥淚magine鈥, de John Lennon, escutada em completa escurid茫o, provocou o acender de v谩rios isqueiros entre o p煤blico, numa resposta literal 脿 melodia da can莽茫o mas tamb茅m em refer锚ncia ao simbolismo da letra, lembrado colectivamente. O que sent铆amos afinal?

The Show Must Go On 茅 um espect谩culo armadilhado, interpelativo, habilmente manipulado de forma a colocar-nos em cena, numa esp茅cie de 鈥渁certo de contas鈥 dependente da nossa memora莽茫o.

A escrita dramat煤rgica tem como fundamentos operativos a rela莽茫o entre a arte e a vida, materializada na dilui莽茫o da autoria da pe莽a, no esvaziamento de adere莽os t茅cnicos, no uso de materiais relacionados com o nosso quotidiano e na implica莽茫o de performers com corpos triviais e aut锚nticos, aqui reunidos em jeito de celebra莽茫o de um qualquer concerto pop.

Estes princ铆pios tomam como refer锚ncia as experi锚ncias da gera莽茫o seminal da Judson Dance Theater, de 1960 e 70, sedeada em Nova Iorque, e que at茅 hoje sedimentam a obra art铆stica de J茅r么me Bel.

Nesta pe莽a, Bel ensaia a produ莽茫o de uma experi锚ncia intimista mas tamb茅m reflexiva, investida em interrogar a concep莽茫o deste objecto art铆stico, sua fun莽茫o, l贸gica e media莽茫o junto de n贸s, espectadores.

Uma pr谩tica radical que me obrigou a reformular a experi锚ncia de ser espectadora, pelo confronto com os mecanismos usados e pelas linguagens art铆sticas convocadas.

Olha para tr谩s no tempo para o releres e reconstruires infinitamente. N茫o pares de escutar. The show must go on.

*Programadora de dan莽a e performance.

_

12-14 Dezembro 2001
Teatro Nacional S茫o Jo茫o

The SHOW MUST GO ONhe Show

conce莽茫o e encena莽茫o J茅r么me Bel
coprodu莽茫o Th茅芒tre de la Ville, Gasthuis, Centre Chor茅graphique National Montpellier Languedoc-Roussillon, Arteleku Gipuzkoako Foru Aldundia, R.B.
Festival PoNTI

_

in O Elogio do Espectador: 100 espet谩culos, 100 testemunhos, 100 fotografias
Cadernos do Centen谩rio | 1
_

fotografia Jo茫o Tuna