Oh l脿 l脿, c鈥檈st magnifique!

M脕RIO MOUTINHO*

Lembro-me da forma empolgada como sa铆 do espect谩culo. Lembro-me do abra莽o que dei 脿 Em铆lia Silvestre, a primeira pessoa com quem partilhei a alegria de ter visto C鈥檈st Magnifique, de J茅r么me Deschamps e Macha Make茂eff. E lembro-me da conversa sobre o espect谩culo com o Jorge Mota: 鈥淚sto s贸 pode ser feito em contexto de companhia, n茫o de produ莽茫o isolada ou de projecto pontual; esta cumplicidade resulta de muito tempo de trabalho conjunto.鈥

Est谩vamos no primeiro PoNTI, em 1997, no mesmo ano em que Robert Lepage apresentou Las Agujas y el Opio e Eimuntas Nekrosius a sua encena莽茫o de As Tr锚s Irm茫s, de Anton Tch茅khov, produ莽玫es que constitu铆ram os pontos mais altos de um festival que trouxe aos palcos da cidade do Porto um conjunto de propostas de artes c茅nicas seleccionadas com ineg谩veis crit茅rios de qualidade. O PoNTI 鈥 Porto. Natal. Teatro. Internacional., promovido pelo Teatro Nacional S茫o Jo茫o, viria, nas suas quatro edi莽玫es, possibilitar 脿 cidade um olhar sobre o que de mais inovador se fazia na cena internacional.

Em C鈥檈st Magnifique, fiquei com a sensa莽茫o de n茫o saber se o que tinha visto era para rir ou chorar 鈥 talvez para rir e chorar 鈥, entre aquele universo clownesco e o que de pol铆tico-social por l谩 perpassava, entre o trabalho primoroso dos comediantes e o triste acorde茫o que nos transportava para o lado de l谩 da gargalhada, entre o musical circense e a opereta bufa, com o submundo urbano em fundo.

Eram apenas seis actores e uma actriz, mas neles havia um mundo em miniatura de homens e mulheres que se moviam numa cena onde o texto 茅 quase inexistente, num cen谩rio simples, quase feio, num guarda-roupa sem qualquer sinal distintivo e com adere莽os do quotidiano, muito usados.

Lembro-me 鈥 como n茫o! 鈥 das interpreta莽玫es. Uns chamaram-lhes pantomineiros modernos ou palha莽os contempor芒neos. Em C鈥檈st Magnifique, vi um leque muito alargado das artes de interpreta莽茫o, pouco me importaram os r贸tulos. Retenho o colectivo homog茅neo que criou aquelas personagens perdidas, an贸nimas e marginalizadas, capaz de nos contar com um humor irresist铆vel a viol锚ncia do quotidiano, numa com茅dia humana, engra莽ada e comovente. Ainda que me recorde particularmente da interpreta莽茫o da Yolande Moreau, sozinha no centro da cena, movendo-se como uma marioneta e cantando como quem parece que n茫o 茅 capaz, num dos momentos mais belos do espect谩culo.

Lembro-me de ter concordado com o que li algures sobre este espect谩culo: tratar-se de uma com茅dia 鈥渢茫o comprometida quanto indispens谩vel鈥.

Irresist铆vel, emocionante e inesquec铆vel esta cria莽茫o de J茅r么me Deschamps e Macha Make茂eff. Oh l脿 l脿, c鈥檈st magnifique!

*Ator.

_

4+5 Dezembro 1997
Teatro Nacional S茫o Jo茫o

C鈥檈st Magnifique

cria莽茫o J茅r么me Deschamps e Macha Make茂eff
coprodu莽茫o Deschamps et Deschamps, DMT Th茅芒tre de Nimes, La Coursive 鈥 Sc猫ne Nationale de la Rochelle, Hebbel-Theater Berlim
*Festival PoNTI

_

in O Elogio do Espectador: 100 espet谩culos, 100 testemunhos, 100 fotografias Cadernos do Centen谩rio | 1

_

fotografia Jo茫o Tuna