Obrigado, mestre Moli猫re

AUGUSTO SANTOS SILVA*

Vi O Misantropo a 9 de abril de 2016. Sei a data porque h谩 muitos anos que registo em cadernos, entre outras coisas, os espet谩culos que vejo. Maneira de preservar a mem贸ria, que facilita a resposta a desafios como este: escolher uma pe莽a que me tivesse marcado, entre as que vi no Teatro S茫o Jo茫o.

Seria um s谩bado, n茫o fui confirmar. Esse 茅 outro h谩bito, que me ajuda a viver o melhor que posso: aproveitar os fins de semana em casa 鈥 isto 茅, no Porto 鈥 para me manter a par da cena cultural da cidade. O S茫o Jo茫o 茅 um dos lugares frequentados, de tal modo que seriam incont谩veis os espet谩culos de que j谩 pude retirar proveito.

Escolhi o texto de Moli猫re por v谩rias raz玫es. Uma tem exatamente que ver com o texto. Outra rotina minha 茅 ler o texto da pe莽a, antes ou depois do espet谩culo. Fi-lo. 脌 primeira vista, a misantropia poderia parecer um tema cristalizado no tempo, motivo de uma com茅dia seiscentista de costumes, bem conseguida mas talvez presa ao seu contexto. N茫o. O texto e a encena莽茫o mostravam bem a atualidade e a riqueza liter谩ria e social da pe莽a de Moli猫re: a sua condi莽茫o de cl谩ssico, aquele que, como t茫o cabalmente mostrou Italo Calvino, vive nas m煤ltiplas leituras que vai permitindo ao longo dos tempos.

Recordo a encena莽茫o, enxuta, contida, de Nuno Cardoso, que precisamente fazia viver o texto, que 鈥渟ervia鈥 Moli猫re e convidava os espectadores a ouvi-lo e segui-lo. J谩 n茫o me lembro de quem assinava a cenografia, mas sei que 茅 uma das imagens de marca do S茫o Jo茫o a qualidade tamb茅m rica, no seu minimalismo, das cenografias. Seria o caso, nesta coprodu莽茫o? Interpreta莽茫o competente, diria, a esta dist芒ncia, ou seja, tudo convergindo para p么r em destaque o dramaturgo e a sua arte imorredoira.

Escolhi esta produ莽茫o de O Misantropo tamb茅m por duas raz玫es 鈥 um pouco mais externas 脿 obra liter谩ria propriamente dita, mas essenciais na organiza莽茫o e no servi莽o p煤blico de um teatro nacional. A pe莽a resultou da parceria entre v谩rias institui莽玫es p煤blicas, nacionais (o S茫o Jo茫o) e locais (o S茫o Luiz, o Centro Cultural Vila Flor e o Teatro Viriato) e a companhia Ao Cabo Teatro; e a amplitude dos parceiros permitia um circuito de itiner芒ncia alargada, passando pelo Porto, Lisboa, Guimar茫es e Viseu. S茫o dois aspetos que valorizo muito, como investigador sobre os p煤blicos da cultura e como te贸rico e pr谩tico das pol铆ticas p煤blicas; dois aspetos que foi muito dif铆cil fazer enraizar no ambiente art铆stico portugu锚s (di-lo um antigo ministro da Cultura), mas que felizmente s茫o hoje 贸bvios, para isso tendo contribu铆do muito, entre outros, as recentes dire莽玫es do S茫o Jo茫o.

N茫o sou cr铆tico, nem me 茅 pedida uma cr铆tica. Para al茅m do caderninho que me ajudou a situar O Misantropo, sirvo-me apenas da mem贸ria. Deixem-me, pois, p么r as coisas assim: nesse como em muitos outros s谩bados, ao longo de anos, fui ao S茫o Jo茫o ver teatro e gostei muito. Gostei de revisitar o texto, gostei da encena莽茫o, da interpreta莽茫o e das escolhas de produ莽茫o e apresenta莽茫o que lhe subjaziam. Nesse abril de 2016, a minha vida estava centrada numa luta di谩ria para explicar 脿 Comiss茫o Europeia que, sim, Portugal ia mudar de pol铆tica econ贸mica e or莽amental e que, n茫o, isso n茫o significava incumprir as regras da Zona Euro; e que, sim, podiam confiar em n贸s e que, n茫o, n茫o era a Comiss茫o Europeia mas o Parlamento portugu锚s que determinava a sorte da governa莽茫o. J谩 tinha come莽ado a exaltante, mas tit芒nica, campanha pela elei莽茫o de Guterres para as Na莽玫es Unidas. Era preciso gerir um pequeno incidente no seio da CPLP antes de ele se tornar um problema. Etc. Naquelas duas horas de pe莽a, beneficiei desse intervalo de prazer inteligente que, a meu ver, a cultura proporciona melhor que qualquer outra coisa. Por isso, obrigado ao S茫o Jo茫o. Obrigado, Ao Cabo Teatro. Obrigado, encenador Nuno Cardoso. Obrigado aos atores, de que recordo a Joana Carvalho, o Lu铆s Ara煤jo, o Pedro Frias, entre os demais. E, sobretudo, obrigado, mestre Moli猫re!

*Professor universit谩rio, soci贸logo, pol铆tico.

_

7-24 Abril 2016
Teatro Nacional S茫o Jo茫o

O Misantropo

de Moli猫re
encena莽茫o Nuno Cardoso
coprodu莽茫o Ao Cabo Teatro, S茫o Luiz Teatro Municipal, Centro Cultural Vila Flor, Teatro Viriato, Teatro Nacional S茫o Jo茫o

_

in O Elogio do Espectador: 100 espet谩culos, 100 testemunhos, 100 fotografias Cadernos do Centen谩rio | 1

_

fotografia Jo茫o Tuna