A L铆ngua Gestual Portuguesa no centro do palco

JOANA COTTIM*

A ida ao teatro n茫o 茅 um dos h谩bitos do meu dia a dia. Prefiro ir ao cinema, visitar museus e at茅 mesmo assistir a espet谩culos de dan莽a com m煤sica r铆tmica, cujos canais de rece莽茫o/perce莽茫o s茫o estritamente visuais e/ou sensoriais. No entanto, desafiada pela Laredo, Associa莽茫o Cultural, abracei a oportunidade de ver um espet谩culo que, no seu conte煤do, relata situa莽玫es reais do nosso quotidiano, nomeadamente, a petul芒ncia das pessoas ao falar de bondade, justi莽a e sensatez quando, na verdade, elas pr贸prias s茫o o oposto do que dizem ser e agem como se o soubessem fazer. No entanto, a pe莽a B谩coro conquistou o meu cora莽茫o e despertou-me para o mundo do espectador de teatro. Toda ela teve em si, 鈥渕agicamente鈥, uma configura莽茫o diferente da habitual: a L铆ngua Gestual Portuguesa em palco.

Usualmente, quando se fala em L铆ngua Gestual Portuguesa em teatro, associam a presen莽a do int茅rprete no canto direito ou no canto esquerdo do 鈥減alco鈥 e n茫o se apercebem de que, se a pe莽a 茅 no centro do palco, a sua tradu莽茫o tamb茅m o dever谩 ser. Ao colocar-se o int茅rprete no canto, o espectador surdo tem duas op莽玫es: ou olha para o int茅rprete, ou olha para a cena em palco. E depois disso surge a quest茫o: 鈥淓ntendi esta fala mas鈥 est谩 associada a que ato? O que est谩 a decorrer em palco?鈥

Naquele dia, ao ver os Palmilha a atuar e a incorporar a int茅rprete em palco, consegui compreender as falas, ver as cenas em palco, apreciar as express玫es faciais e corporais, e tudo isso mudou a minha opini茫o sobre o que 茅 ver teatro, sobre o que 茅 sentir os artistas a dar muito de si aos outros (espectadores) e, sobretudo, perceber o que torna mais nua e bela a representa莽茫o: o improviso. Desde esse dia, percebi que o teatro tem um conjunto de caracter铆sticas que se complementam e n茫o se dissociam entre si: tem falas, express玫es corporais, express玫es faciais, movimento, orienta莽茫o, e que tudo isto funciona como um todo. Se colocarem a fala/gesto num canto, perde-se a unicidade e o espectador n茫o usufrui do prazer de assistir a uma pe莽a de teatro, como tem vindo a acontecer com os espectadores surdos.

Obrigada, Palmilha.

Obrigada, Teatro Nacional S茫o Jo茫o.

*Professora de L铆ngua Gestual Portuguesa, mediadora.

_

29 Setembro 鈥 16 Outubro 2016 Teatro Carlos Alberto

B谩coro

de Ricardo Alves e Sandra Neves
encena莽茫o Ricardo Alves
coprodu莽茫o Teatro da Palmilha Dentada, Casa das Artes de Vila Nova de Famalic茫o, Teatro Nacional S茫o Jo茫o _

in O Elogio do Espectador: 100 espet谩culos, 100 testemunhos, 100 fotografias Cadernos do Centen谩rio | 1

_

fotografia Susana Neves