Destravadamente, uma derrapagem retrospectiva

Regina Guimar茫es*

Lembro-me das laranjas resvalando no dom duardos e de pensar que este nome 鈥減ortugal鈥 a carimbar-nos os olhos talvez exprima a figura do precip铆cio ao mesmo tempo que a do fruto. Lembro-me do candelabro colossalmente central da salva莽茫o de veneza, da roupa-mapa do calder贸n, de lamentar o perdermos involuntariamente a luz que temos. E, quando isso me atravessa, encolho-me e recolho-me, repesco com corda de recordar muito mais antigas reminisc锚ncias de um teatro nacional s茫o jo茫o ainda n茫o renovado, correntes de ar e p贸 a varrer o palco aquando dos concertos de m煤sica de c芒mara, cadeiras de pau, mas o pai dava-me uma m茫o e o som dava-me a outra. Lembro-me do port茫o lacrimejante e dos cavalos de ar莽玫es de nekrosius, de ter contido l谩grimas em othello e de ter chorado baba e ranho no final das tr锚s irm茫s, porque confusamente creio na transmuta莽茫o do sofrimento em alegria. Lembro-me das cabeleiras na bela vers茫o da 贸pera de britten, de penar com as alunas ionescas e 脿s pintas e de jubilar com os supet玫es do misantropo e os escorreg玫es do plat贸nov, com o negrume do despertar da primavera e com a ofeg芒ncia do woyzeck, sob a batuta do nuno cardoso. De curtir tamb茅m larguete com a sua reposi莽茫o do subterr芒neo que se lhe colou 脿 pele, no espa莽o burocr谩tico-barroco do sal茫o dito nobre. Lembro-me do prazer de estar dentro e fora do jogo da cartografia da pele e nunca mais me largou a ideia de que o deboche de alterar mapas 茅 um bom princ铆pio para mudar mundos. Lembro-me da justeza sem contrafac莽茫o do espect谩culo i don鈥檛 belong here, obrigada, dinarte branco, jo茫o da ponte, paulo abreu. Lembro-me de sair para a rua zangada com as leituras pedantes de gon莽alo waddington e de tiago rodrigues, albertine e bovary pela rama, felizmente h谩 mais mar茅s que marinheiros, cara莽as鈥 Lembro-me de pensar que os deschamps fazem um teatro que equivale 脿 perda do olfacto mas com muito tacto tique e taque. Lembro-me de me comover por trazerem o ruy belo ao palco, pesem embora alguns desajustes. Lembro-me de me escangalhar a rir com je t鈥檃ppelle de paris e recentragens afins. Lembro-me de me divertir com a rigorosa esopaida da cornuc贸pia. Lembro-me dos corvos de nadj, do breve sum谩rio de carinhas. Lembro-me das breves conversas no lobby com paulo eduardo carvalho. Lembro-me de ter experimentado o estranho ensimesmamento do estar em cena com la ribot. N茫o me lembro de tudo. Vi pouco de muito. O mais das vezes, ao chegar ao teatro, cruzo-me com dois imensos esp铆ritos do lugar: o fernando camecelha, a lu铆sa corte-real. E sim, volto e volto. Estou de luto pela minha vida, por exemplo.

*Escritora, realizadora.

_

in O Elogio do Espectador: 100 espet谩culos, 100 testemunhos, 100 fotografias Cadernos do Centen谩rio | 1

_

fotografia Jo茫o Tuna