Espectadora, espont芒nea, bailarina

La Salette Moreira*

Foi com enorme satisfa莽茫o que, naquele dia, soube que ia participar no espet谩culo 40 Espont芒neos, coreografado por La Ribot, no Teatro Carlos Aberto. Fui cativada para subir a um palco, 脿 vista de todos, quando at茅 脿 data estive, quase sempre, sentada a ver e a fruir dos espet谩culos.

Se 40 Espont芒neos assenta, numa primeira linha, na mem贸ria daquilo que fiz, h谩 tamb茅m algo especialmente belo para mim na mem贸ria do que senti. Esta experi锚ncia foi, de alguma forma, a clara aproxima莽茫o de uma criadora internacional a 40 pessoas sem experi锚ncia na dan莽a, que passaram a viver no espa莽o da imagina莽茫o, da improvisa莽茫o e da representa莽茫o. E eu fui uma delas! A oportunidade de estar no papel de uma artista-bailarina, percorrer os ensaios, receber orienta莽玫es de uma core贸grafa profissional, fazer a caminhada pr贸pria de um espet谩culo com rigor, ousadia e sensibilidade at茅 ao dia da estreia tem um valor incalcul谩vel na forma como me coloco agora a ver um espet谩culo de dan莽a ou outro que seja.

Foram dias em que me foi permitido estar noutro lugar, noutra realidade, noutras inquieta莽玫es, noutras dores que n茫o s茫o habituais. Foi muito empolgante sentir que a estreia se aproximava, os medos, os receios e as ansiedades cresciam e, de repente, estava a interpretar perante um p煤blico. Momento m谩gico! Senti-me num s铆tio onde a poesia pairou e paira. E isso foi um privil茅gio. E as palmas? Foi bom ouvi-las. Que boa e bela recompensa! O festejo final coletivo nos bastidores, revelador de uma cumplicidade muito profissional de 40 pessoas, e o abra莽o da nossa core贸grafa, repleto de carinho e satisfa莽茫o, fizeram-nos sentir verdadeiras estrelas. Na diferen莽a, na aus锚ncia de experi锚ncia, La Ribot fez-nos sentir excecionais na performance.

Desde essa altura, quando me sento no lugar do espectador, sinto muito mais a uni茫o de sonhos, de vontades, de esfor莽os, de disciplina de tantos profissionais envolvidos no espet谩culo. De facto, n茫o consigo, n茫o quero esquecer nada do que vivi. Conhecer os bastidores, f铆sico e humano, ser uma int茅rprete, ter a orienta莽茫o da core贸grafa La Ribot, fazer parte de um elenco de um Teatro Nacional foi vivido de forma intensa. E como ia ser espont芒neo na minha vida de artista, tentei que tudo fosse absorvido para todo o sempre. Uma experi锚ncia a guardar e a recordar saudosamente.

*Professora.

_

9+10 Julho 2004
Teatro Carlos Alberto

40 Espont芒neos

coreografia La Ribot
coprodu莽茫o La Ribot-36 Gazelles | Ciclo Dancem!04

_

in O Elogio do Espectador: 100 espet谩culos, 100 testemunhos, 100 fotografias Cadernos do Centen谩rio | 1
_

fotografia Jo茫o Tuna