O Teatro Nacional São João é um lugar seguro.

Porque é que não é seguro ir ao Teatro São João?

O Teatro Nacional S√£o Jo√£o n√£o √© um lugar seguro. Parafraseando Artaud, o teatro perturba o repouso dos sentidos, liberta o inconsciente, invoca a uma esp√©cie de revolta. Porque se ainda n√£o somos livres e se o c√©u pode desabar sobre n√≥s, o teatro foi feito para, antes de mais, no-lo dizer. Ao mesmo tempo, o Teatro Nacional S√£o Jo√£o √© um lugar seguro. Nos √ļltimos meses, desenvolvemos um plano de conting√™ncia minucioso, que abrange montagens, ensaios e os pr√≥prios espet√°culos, salvaguardando a seguran√ßa do p√ļblico, dos artistas e dos trabalhadores do S√£o Jo√£o, de acordo com as recomenda√ß√Ķes das autoridades de Sa√ļde. Enquanto se revelar necess√°rio, a lota√ß√£o das nossas salas ser√° consideravelmente reduzida: 200 lugares no S√£o Jo√£o, 100 no Teatro Carlos Alberto. Para ambos os teatros, foi estabelecido um princ√≠pio de dois lugares de intervalo entre espectadores ou grupos de espectadores coabitantes. Atores e int√©rpretes dos nossos espet√°culos realizam testes no momento em que iniciam os ensaios; t√©cnicos de palco e de acolhimento p√ļblico observam todas as normas e procedimentos de seguran√ßa. As salas e os espa√ßos comuns do S√£o Jo√£o e do Teatro Carlos Alberto s√£o objeto de uma desinfe√ß√£o completa, antes da abertura de portas e logo ap√≥s o fim de cada espet√°culo, atrav√©s de um sistema de nebuliza√ß√£o que n√£o representa quaisquer contraindica√ß√Ķes para a sa√ļde. Aos espectadores pedimos que usem um adere√ßo teatral: uma m√°scara.

_
15 de julho de 2020