O Teatro Nacional São João é um lugar seguro.

Porque é que não é seguro ir ao Teatro São João?

O Teatro Nacional São João não é um lugar seguro. Parafraseando Artaud, o teatro perturba o repouso dos sentidos, liberta o inconsciente, invoca a uma espécie de revolta. Porque se ainda não somos livres e se o céu pode desabar sobre nós, o teatro foi feito para, antes de mais, no-lo dizer. Ao mesmo tempo, o Teatro Nacional São João é um lugar seguro. Nos últimos meses, desenvolvemos um plano de contingência minucioso, que abrange montagens, ensaios e os próprios espetáculos, salvaguardando a segurança do público, dos artistas e dos trabalhadores do São João, de acordo com as recomendações das autoridades de Saúde. Enquanto se revelar necessário, a lotação das nossas salas será consideravelmente reduzida: 200 lugares no São João, 100 no Teatro Carlos Alberto. Para ambos os teatros, foi estabelecido um princípio de dois lugares de intervalo entre espectadores ou grupos de espectadores coabitantes. Atores e intérpretes dos nossos espetáculos realizam testes no momento em que iniciam os ensaios; técnicos de palco e de acolhimento público observam todas as normas e procedimentos de segurança. As salas e os espaços comuns do São João e do Teatro Carlos Alberto são objeto de uma desinfeção completa, antes da abertura de portas e logo após o fim de cada espetáculo, através de um sistema de nebulização que não representa quaisquer contraindicações para a saúde. Aos espectadores pedimos que usem um adereço teatral: uma máscara.