Enciclop√©dia M√≠nima re√ļne o melhor de mais de duas d√©cadas de edi√ß√Ķes do Teatro Nacional S√£o Jo√£o

Ao sexto t√≠tulo, fechamos o cap√≠tulo dos Cadernos do Centen√°rio, a cole√ß√£o que deu lastro editorial √†s comemora√ß√Ķes do Centen√°rio do Teatro S√£o Jo√£o. Enciclop√©dia M√≠nima: Uma Antologia de Cem Textos re√ļne, num volume com mais de 600 p√°ginas, cem dos milhares de textos originais ‚Äď entre ensaios, conversas, notas de ensaios, entrevistas ‚Äď editados em publica√ß√Ķes do S√£o Jo√£o, desde 1996. Esta Enciclop√©dia, concebida e organizada por Jo√£o Lu√≠s Pereira, vai ser apresentada este s√°bado, dia 26 de mar√ßo, no Teatro S√£o Jo√£o, por Maria Sequeira Mendes.

Dispostos de A a Z, os textos de Enciclop√©dia M√≠nima configuram ‚Äúuma pequena biblioteca escrita por uma intelig√™ncia coletiva‚ÄĚ, percorrendo, como se pode ler no pref√°cio, ‚Äúg√©neros e estilos variegados, uma profus√£o de t√≥picos e argumentos, circunst√Ęncias diversas, m√ļltiplas inten√ß√Ķes editoriais‚ÄĚ, em que ‚Äúcada texto d√° a ler um livro diferente‚ÄĚ e ‚Äús√≥ o artif√≠cio enciclop√©dico confere ao caos uma apar√™ncia de sensatez. H√° m√©todo na loucura‚ÄĚ.

De facto, Enciclop√©dia M√≠nima re√ļne textos de autores como Frederico Louren√ßo, que em ‚ÄúCastro, poema tr√°gico‚ÄĚ escreve sobre a obra de Ant√≥nio Ferreira, Maria Filomena Molder, que analisa O Duelo, de Henrich von Kleist, Ant√≥nio Guerreiro, que escreve sobre O Resto J√° Devem Conhecer do Cinema, de Martin Crimp, ou Ant√≥nio Sousa Ribeiro, que, na entrada ‚ÄúKraus‚ÄĚ, discorre sobre a obra por si traduzida:

‚ÄúO t√≠tulo, Os √öltimos Dias da Humanidade, define uma perspetiva apocal√≠ptica. A banalidade desse t√≠tulo √© apenas aparente: n√£o se trata de uma vis√£o escatol√≥gica; para Kraus, o apocalipse est√° desde sempre inscrito na aparente normalidade das formas do quotidiano.‚ÄĚ

Enciclop√©dia M√≠nima colige tamb√©m as mais memor√°veis entrevistas realizadas para os manuais de leitura e programas de sala produzidos pelo S√£o Jo√£o. Aqui, temos conversas com Rog√©rio de Carvalho, Ricardo Pais, Ant√≥nio Lagarto, Giorgio Barberio Corsetti ou Eimuntas Nekrosius. Na entrada que toma o seu apelido, o encenador lituano partilha os seus pensamentos sobre o espet√°culo Metai/Esta√ß√Ķes, de 2003:

‚ÄúEstou num momento de cria√ß√£o e isso n√£o se consegue atrav√©s do pensamento, tenho de chegar l√° atrav√©s da intui√ß√£o, de sentimentos‚Ķ N√£o, sentimentos, n√£o! Imagens, fantasia. Atrav√©s de erros.‚ÄĚ

A antologia reserva-nos ainda interven√ß√Ķes em sess√Ķes p√ļblicas como as de Francisco Lu√≠s Parreira, de Armando Silva Carvalho ou, a mais recente, de Marvin Carlson, mas tamb√©m textos do poeta Alberto Pimenta (‚ÄúO Diabo est√° desclassificado; a tenta√ß√£o morre √† m√≠ngua de j√° n√£o haver quem precise de ser tentado. O inferno continua a ter alvar√°, mas perdeu o velho rating em todas as artes.‚ÄĚ), do historiador Rui Tavares, da jornalista Alexandra Lucas Coelho, ou do editor V√≠tor Silva Tavares. Na entrada ‚ÄúZ√°s‚ÄĚ, e ‚Äú√Ä boleia de Jarry‚ÄĚ, escreve assim o fundador da &etc:

‚ÄúTalvez por isso, mais que espectador sou ai de mim comparsa deste faz-de-conta sinistro que d√° pelo nome de estabilidade social, com sua flor ‚Äėart√≠stica‚Äô na botoeira. S√≥ que ‚Äď viva Jarry, que eu j√° ri e rio e roo! ‚Äď posso atirar para o al√ßap√£o, z√°s, os respeitinhos todos que me impinjam. E daqui me vou, √† boleia dele.‚ÄĚ

Enciclopédia Mínima: Uma Antologia de Cem Textos vai ser apresentada este sábado, a partir das 16 horas, no Salão Nobre do Teatro São João. A apresentação da sessão vai ficar a cargo de Maria Sequeira Mendes, professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e autora de The Ordeals of Interpretation e coautora de O Desensino da Arte.

_

25 de março 2022.