Reivindicar a cidade

SARA BARROS LEIT脙O*

No momento em que sou desafiada a escrever uma mem贸ria impressiva de um espect谩culo que tenha passado pelo Teatro Nacional S茫o Jo茫o, pergunto-me: que mem贸ria pode contribuir para contar uma hist贸ria do teatro da nossa cidade? E surgem, de repente, tr锚s palavras: mem贸ria, teatro e cidade.

Viajo at茅 Esta 茅 a minha cidade e eu quero viver nela, uma cria莽茫o do Teatro do Vestido, com direc莽茫o de Joana Craveiro. Se a mem贸ria n茫o me falha, esteve duas vezes no Mosteiro de S茫o Bento da Vit贸ria, embora tamb茅m tenha passado por outras cidades e, em cada uma delas, os int茅rpretes mergulhavam nas ruas, nos caf茅s, nas pens玫es, e recolhiam hist贸rias, momentos, sensa莽玫es, lendas ou mitos urbanos. Era a partir dessa recolha da 鈥 e sobre a 鈥 cidade que o espect谩culo ganhava forma.

Lembro-me de ouvir dizer que este espect谩culo foi criado em pouco mais de tr锚s semanas. O que pode parecer um tempo recorde, mas que, para o ritmo de cria莽茫o do Vestido, parecia ser o tempo justo. S贸 que isso eu ainda n茫o sabia.

Trabalhei com a Joana, eu como actriz e ela a dirigir, noutro espect谩culo tamb茅m co-produzido pelo TNSJ, anos mais tarde, chamado Esp贸lios. Tamb茅m a铆 o ritmo de trabalho foi alucinante e as tr锚s semanas foram t茫o intensas como v谩rios meses. O trabalho da Joana e do Vestido marcou profundamente a minha vida, quer como espectadora, quer como criadora ou artista. E como o teatro 茅 como o amor (curiosamente, tamb茅m o Vestido, em co-produ莽茫o com o TNSJ, fez um espect谩culo sobre o amor, no Palacete Pinto Leite, tamb茅m ele arrebatador e tamb茅m ele importante para mim), dizia eu, como o teatro 茅 como o amor, o primeiro beijo nunca se esquece. Assim, o momento em que me cruzei com Esta 茅 a minha cidade e eu quero viver nela tornou-se um marco na minha vida.

Lembro-me de que eram sete actores e que cada um habitava um lugar nas ruas que circundam o Mosteiro. O p煤blico era dividido em sete grupos, cada um com um frente de casa, que os guiava num percurso pela cidade, indo ao encontro de cada int茅rprete, que os esperava num ponto e terminava o mon贸logo noutro. O p煤blico seguia para o actor seguinte e, durante esse tempo, os actores tinham de arrumar toda a cena, beber 谩gua, e correr para o ponto inicial, onde iriam receber o grupo seguinte. Em cada noite, os actores repetiam o mon贸logo sete vezes, num espect谩culo que demorava quase tr锚s horas. A cena final acontecia no claustro do Mosteiro. Cada grupo que chegava era recebido por uma exposi莽茫o, onde j谩 estavam outros espectadores que os aguardavam. Trocavam impress玫es, comentavam, riam e perguntavam onde se podiam sentar um pouco. Os actores/criadores eram, depois, recebidos com aplausos, e agradeciam servindo um caldo verde quente, em panela ensinada, que todos os dias se ia buscar a um restaurante ali perto.

Sei tudo isto porque, dias antes da estreia, foi necess谩ria a colabora莽茫o de uma contra-regra. A log铆stica do espect谩culo tornou-se mais complexa do que o previsto. Nunca tinha sido contra-regra, tamb茅m nunca tinha trabalhado no TNSJ, e nunca tinha visto um espect谩culo do Vestido. Estava aqui a receita que iria influenciar a minha vida e o meu modo de olhar para as coisas.

Talvez n茫o caiba aqui uma disserta莽茫o sobre a forma como o trabalho do Vestido, a sua milit芒ncia e engajamento pol铆tico foram fundamentais na minha constru莽茫o. Ou como a est茅tica e o modo de cria莽茫o entraram em mim como uma espinha vertebral.

Fui a mais ass铆dua espectadora. Vi todas as r茅citas, estrategicamente escondida nos becos das ruas, para dar apoio aos actores entre as suas cenas. Todos os dias, tinha de comprar sete bolinhos de bacalhau e sete minis para um dos actores usar durante a cena 鈥 esse caf茅 j谩 n茫o existe. Ia buscar a panela de caldo verde a um restaurante que entretanto foi remodelado e passou a servir hamb煤rgueres gourmet.

Contribuo para a mem贸ria do nosso teatro, escrevendo sobre um espect谩culo que parte das mem贸rias das ruas para reivindicar a cidade. O que, passados sete anos, n茫o 茅 coisa pouca para este Porto que agora se constr贸i.

*Atriz, encenadora.

_

27-30 Mar莽o 2012
Mosteiro de S茫o Bento da Vit贸ria

Esta 茅 a minha cidade e eu quero viver nela

cocria莽茫o e dire莽茫o Joana Craveiro
coprodu莽茫o *Teatro do Vestido, Teatro Nacional S茫o Jo茫o

_

in O Elogio do Espectador: 100 espet谩culos, 100 testemunhos, 100 fotografias Cadernos do Centen谩rio | 1

_

fotografia Jo茫o Tuna