Tartufo

TNSJ

texto Moli猫re

encena莽茫o Carlos J. Pessoa

_

TEATRO DA GARAGEM

Tartufo

Descri莽茫o

H谩 um Moli猫re que subitamente se atravessa no caminho do Teatro da Garagem. Uma alegre anomalia, isto se pensarmos que a companhia n茫o pratica um teatro de repert贸rio, escorando antes a sua identidade art铆stica nos textos do dramaturgo e encenador Carlos J. Pessoa. E porqu锚 Moli猫re? E porqu锚 Tartufo (1664), uma das suas mais c谩usticas com茅dias, onde se joga a revela莽茫o da verdadeira identidade de um impostor e falso moralista? Digamos que a Garagem quis conjugar o verbo 鈥渢artuficar鈥 鈥 cuja origem remonta a 1669 e significa 鈥渆nganar por meio de fingimento ou hipocrisia鈥 鈥 no presente do indicativo, declinando-o contra o pano de fundo da era das 鈥fake news, da adultera莽茫o dos factos, da radicaliza莽茫o de posi莽玫es, do colapso e da mis茅ria鈥. Carlos J. Pessoa situa este Tartufo na margem de um lago aparentemente apraz铆vel, lugar que se revelar谩, afinal, um charco infestado de pragas desconhecidas, habitado por personagens que aos poucos v茫o revelando a sua decad锚ncia e vulnerabilidade. O descalabro, sabemo-lo bem, 茅 uma das estrat茅gias ret贸ricas (e de combate pol铆tico鈥) dos espet谩culos da Garagem. 鈥淗aver谩 sa铆da do p芒ntano? Desmascaremos os Tartufos. Ponhamos alguma dec锚ncia nisto tudo.鈥

Cr茅ditos

texto Moli猫re encena莽茫o Carlos J. Pessoa

m煤sica e sonoplastia Daniel Cervantes cenografia e figurinos S茅rgio Loureiro desenho de luz Gon莽alo Morais assist锚ncia de encena莽茫o Ana Palma dire莽茫o de produ莽茫o Raquel Matos produ莽茫o executiva e comunica莽茫o Joana Rodrigues

interpreta莽茫o (a definir)

coprodu莽茫o Teatro da Garagem, Teatro Nacional S茫o Jo茫o

apoio C芒mara Municipal de Lisboa, EGEAC, Junta de Freguesia de Santa Maria Maior

dur. aprox. 1:40

Sess玫es

Teatro Nacional S茫o Jo茫o
Pra莽a da Batalha 112, 4000-101 Porto, Portugal
Dire莽玫es