Teatro Carlos Alberto

Rei Jo√£o

de William Shakespeare
encenação Marcos Barbosa
_

Escola do Largo

Rei Jo√£o

Descrição

Rei Jo√£o, de William Shakespeare, √© uma das pe√ßas menos representadas do autor. Marcos Barbosa retira-a desse sil√™ncio numa encena√ß√£o que conta com dramaturgia de Jacinto Lucas Pires. Escrita entre 1594-96 e publicada no Primeiro F√≥lio (1623), √© uma pe√ßa hist√≥rica, g√©nero que permite ao p√ļblico aceder √† experi√™ncia do passado como impulso para pensar o presente. A dramatiza√ß√£o do turbulento reinado de Jo√£o (entre 1199-1216), com as vicissitudes da guerra entre Fran√ßa e Inglaterra como n√≥ central, levanta um conjunto de quest√Ķes que avaliam o estado da na√ß√£o, ontem como hoje. O que √© este espa√ßo a que chamamos Europa? Como recuperamos os valores deste lugar simb√≥lico? Como redefinimos a representatividade do povo? Como nos posicionamos perante a nova realidade migrat√≥ria? Como nos relacionamos com os novos conceitos de identidade e de na√ß√£o? Quem assume o vazio do poder espiritual? Quais s√£o os mecanismos da luta de poderes?

Créditos

de William Shakespeare encenação Marcos Barbosa

tradu√ß√£o Nuno Pinto Ribeiro (edi√ß√£o Rel√≥gio D‚Äô√Āgua)
dramaturgia Jacinto Lucas Pires cenografia e figurinos Sara Amado m√ļsica Cuca Monga desenho de luz Pedro Vieira de Carvalho

produção executiva Raquel Silva

interpretação Luciano Amarelo, Pedro Fontes, Pedro Moldão, Marcos Barbosa e Grupo de Teatro da Encarnação, Grupo de Teatro Ponte de Sor

coprodução Escola do Largo, Teatro Municipal da Guarda, Teatro Aveirense, Cine-Teatro Avenida, Teatro-Cine de Torres Vedras, Teatro Nacional São João

dur. aprox. 1:30 M/12 anos