Teatro Carlos Alberto

TANG PING, um western moderno sobre não ser ninguém

direção Ana Vitorino, Carlos Costa
_
Vis√Ķes √öteis

TANG PING, um western moderno sobre não ser ninguém

Descrição

‚ÄúEstamos juntos. O que √© que se segue?‚ÄĚ, perguntava-se em 2021 o coletivo Vis√Ķes √öteis na folha de sala de Diziam que do outro lado havia um caminho que cortava o tempo da demanda em dois. A pandemia n√£o permitiu a sua apresenta√ß√£o e TANG PING, um western moderno sobre n√£o ser ningu√©m √© o espet√°culo em que voltamos a estar juntos. Uma esta√ß√£o de r√°dio prepara um programa comemorativo de A Guerra dos Mundos, de H.G. Wells, que pretende refletir sobre o poder dos media. Mas ao longo da produ√ß√£o do evento, os promotores e a equipa contratada n√£o parecem estar sintonizados quanto aos objetivos da iniciativa. Com dire√ß√£o de Ana Vitorino e Carlos Costa, TANG PING desenvolve-se em torno de tentativas falhadas para contar uma hist√≥ria. O desejo de recria√ß√£o de ‚Äúuma noite de r√°dio, trag√©dia e morte‚ÄĚ vai transformar o est√ļdio num campo de batalha, onde cada um tem de escolher entre lutar, render-se‚Ķ ou desistir.

Créditos

direção Ana Vitorino, Carlos Costa

texto Ana Vitorino, Carlos Costa, Gemma Rodríguez cenografia, adereços e figurinos Inês de Carvalho banda sonora original e sonoplastia João Martins desenho de luz Pedro Correia vídeo e design gráfico Sara Allen assessoria artística e de comunicação Carlota Castro coordenação de produção Alice Prata produção executiva Pedro Monteiro

interpretação Ana Vitorino, Carlos Costa, Inês Filipe, Pedro Roquette e Ana Azevedo, José Barreto, Mário Moutinho (voz off)

coprodu√ß√£o Vis√Ķes √öteis, Teatro Municipal da Guarda, Teatro Municipal de Vila Real, Teatro Nacional S√£o Jo√£o apoio Acci√≥n Cultural Espa√Īola

estreia 10 Nov 2022 Teatro Municipal da Guarda dur. aprox. 1:20 M/12 anos


Conversa com o Rui 30 Jun