Teatro Carlos Alberto

O Pecado de Jo√£o Agonia

de Bernardo Santareno

encenação João Cardoso

_

Assédio

O Pecado de Jo√£o Agonia

Descrição

Com O Pecado de Jo√£o Agonia prosseguimos a opera√ß√£o de resgate das palavras de Bernardo Santareno iniciada com a produ√ß√£o de A Promessa, em 2017. Fazemos justi√ßa √† voz de um dos mais importantes dramaturgos portugueses do s√©culo XX, ao mesmo tempo que investimos na revivifica√ß√£o da mem√≥ria de um cl√°ssico contempor√Ęneo. Como denominador comum aos dois projetos encontramos o encenador Jo√£o Cardoso, diretor art√≠stico da ASS√©DIO, companhia com quem partilhamos nova incurs√£o no territ√≥rio de um dramaturgo que praticou uma ‚Äúpo√©tica de ra√≠zes‚ÄĚ. O Pecado de Jo√£o Agonia (1961) inscreve-se num conjunto de pe√ßas onde Santareno afirma uma estrat√©gia de oposi√ß√£o a um sistema opressivo, problematizando aspetos de natureza sexual (a homossexualidade) e quest√Ķes de natureza religiosa (o pecado, o sacrif√≠cio). Este incitamento a uma esp√©cie de ‚Äúdesobedi√™ncia dos dogmas‚ÄĚ √© aqui vivido no interior de um apertado c√≠rculo comunit√°rio ‚Äď um ‚Äúlugarejo serrano e primitivo‚ÄĚ, o Portugal salazarento, pa√≠s que ainda √© o nosso. Lugar onde o ‚Äúvento queima‚ÄĚ e o c√©u se enche de p√°ssaros pretos na noite do crime. ‚ÄúN√£o v√°s, Jo√£o Agonia! Foge, foge!‚ÄĚ

Créditos

de Bernardo Santareno encenação João Cardoso

dramaturgia Regina Guimarães cenografia e figurinos Sissa Afonso desenho de luz Nuno Meira, Filipe Pinheiro sonoplastia Francisco Leal vídeo Marta Lima

interpreta√ß√£o √āngela Marques, Benedita Pereira, Daniel Silva, In√™s Afonso Cardoso, Jo√£o Cardoso, Jo√£o Castro, Pedro Galiza, Pedro Quiroga Cardoso, R√ļben P√©rola

coprodução ASSéDIO, Teatro Nacional São João

dur. aprox. 1:40 M/12 anos