Teatro S√£o Jo√£o

Bruscamente no Ver√£o Passado

de Tennessee Williams
conceção e direção Carlos Pimenta
_

Ensemble ‚Äď Sociedade de Actores

Bruscamente no Ver√£o Passado

Descrição

Tennessee Williams (1930-83) era j√° um nome de vulto no teatro americano quando escreveu Bruscamente no Ver√£o Passado (1958), adaptado ao cinema logo no ano seguinte por Joseph L. Mankiewicz, com argumento de Gore Vidal. A pe√ßa e o filme, o teatro e o cinema, s√£o o foco da proposta do Ensemble e da encena√ß√£o de Carlos Pimenta, que conta com uma nova tradu√ß√£o da poeta Ana Lu√≠sa Amaral. ‚ÄúUm confronto entre imagens: as do cinema, invari√°veis e impositivas, e as do teatro, inst√°veis e esguias.‚ÄĚ Quem era Sebastian? O que lhe aconteceu, bruscamente no ver√£o passado? Personagem ausente da a√ß√£o (mas omnipresente, como uma assombra√ß√£o), constr√≥i-se pelas vers√Ķes contradit√≥rias que dele t√™m a Sra. Venable (a m√£e) e Catherine (a prima), e a cuja ess√™ncia tenta aceder o Dr. Cukrowicz (e n√≥s, espectadores). O embate das imagens imaginadas de cada personagem √© turbinado pelas sombras da mem√≥ria e pela voracidade do desejo. Na recorda√ß√£o da luz de uma praia da costa europeia irrompem o negrume e uma pergunta: qual √©, afinal, a verdade?

Créditos

de Tennessee Williams conceção e direção Carlos Pimenta

tradução Ana Luísa Amaral espaço cénico Carlos Pimenta, João Pedro Fonseca figurinos Bernardo Monteiro desenho de luz Rui Monteiro

m√ļsica Ricardo Pinto v√≠deo Jo√£o Pedro Fonseca

interpretação Emília Silvestre, Pedro Mendonça, Bárbara Pais, Clara Nogueira, Pedro Barros, Marta Bernardes, Isabel Queirós

coprodu√ß√£o Ensemble ‚Äď Sociedade de Actores, Teatro Nacional S√£o Jo√£o

M/14 anos

Espetáculo em língua portuguesa, legendado em inglês.

Língua Gestual Portuguesa + Conversa com o Rui | 20 nov