A odisseia 铆ntima de Sanja Mitrovi膰

ALEXANDRA MOREIRA DA SILVA*

No fundo, o teatro e a filosofia colocam a mesma quest茫o: como podemos dirigir-nos 脿s pessoas de maneira a faz锚-las pensar a vida de uma forma diferente do habitual?
Alain Badiou

Nem s贸 de espect谩culos vive um teatro. Esta 茅 a primeira ideia que me ocorre quando, neste exerc铆cio intranquilo 鈥 porque saudoso 鈥 de rememora莽茫o, revejo imagens, momentos e emo莽玫es cuja montagem rizom谩tica, por vezes turva e sempre assim茅trica, me conduz n茫o s贸 aos espect谩culos, como tamb茅m aos respectivos contextos e actividades paralelas: confer锚ncias, mesas-redondas, livros, programas de sala, manuais de leitura, col贸quios, semin谩rios, festivais, exposi莽玫es, oficinas鈥 Tudo isto para afirmar o 贸bvio: um teatro 茅 (tamb茅m) um lugar de pensamento 鈥 e o Teatro Nacional S茫o Jo茫o tem sido disto mesmo um excelente exemplo.

Foi sob o signo da viagem, tema maior da obra hom茅rica, mas tamb茅m do di谩logo e da descoberta de novas linguagens e de novas possibilidades de cria莽茫o, que o ciclo Odisseia: Teatro do Mundo, com coordena莽茫o de Jos茅 Lu铆s Ferreira, reuniu no TNSJ, entre Janeiro e Maio de 2011, alguns dos mais importantes pensadores da dramaturgia e das artes c茅nicas contempor芒neas (Georges Banu, Jean-Pierre Sarrazac鈥), bem como um conjunto de espect谩culos de criadores incontorn谩veis (Pina Bausch, Peter Brook, Antunes Filho鈥), aos quais se viriam a juntar alguns nomes menos conhecidos do p煤blico portugu锚s (Josef Nadj, Yael Ronen, Sanja Mitrovi膰鈥), cujas propostas inovadoras e evidente criatividade t锚m, hoje, amplo reconhecimento nos palcos contempor芒neos.

Em Maio de 2011, no TeCA, assisti pela primeira vez ao trabalho da artista s茅rvia Sanja Mitrovi膰 鈥 artista que viria a seguir regularmente noutras geografias. Instalada nos Pa铆ses Baixos desde 2001, onde a vitalidade da cena flamenga continuava a propor novas formas e novas pr谩ticas performativas que muito viriam a contribuir para a renova莽茫o do tecido teatral europeu, Sanja Mitrovi膰 apresentava-se em Portugal com dois espect谩culos: Will You Ever Be Happy Again? e A Short History of Crying (tendo ainda orientado uma oficina sobre teatro documental no Centro Cultural Vila Flor). Reconhe莽o a import芒ncia da apresenta莽茫o dos dois espect谩culos, ainda que o primeiro, cuja concep莽茫o me pareceu mais complexa, n茫o tenha deixado de me interpelar ao longo destes 煤ltimos anos. N茫o tendo, na altura, ficado completamente convencida 鈥 confesso 鈥, percebi, no entanto, que se tratava de uma proposta dramat煤rgica e c茅nica com uma dimens茫o pol铆tica importante, num dispositivo bastante simples, que me fez pensar nos 鈥渂iodramas鈥 das argentinas Lola Arias e Vivi Tellas: uma mesa, uma c芒mara, uma ou duas caixas de onde iam sendo extra铆dos materiais pessoais (fotografias, pequenos objectos, desenhos, livros, textos鈥 muitos deles projectados ao longo do espect谩culo, o que permitia redimensionar o valor afectivo dos mesmos), duas actrizes (uma s茅rvia e outra alem茫), duas hist贸rias de vida, duas tentativas de resposta 脿 mesma pergunta: 鈥淥 que 茅 a identidade nacional?鈥

Neste espect谩culo 鈥 viagem ao mundo da inf芒ncia em busca da identidade 鈥, dois elementos retiveram a minha aten莽茫o: em primeiro lugar, a cria莽茫o daquilo a que eu chamaria uma 鈥減artitura-arquivo鈥, onde a montagem/colagem de documentos autobiogr谩ficos e hist贸ricos pressup玫e uma dramaturgia plural do rasto, recorrendo a uma linguagem n茫o exclusivamente textual e apoiando-se igualmente noutros modos de escrita (musical, coreogr谩fica, pl谩stica鈥). Em segundo lugar, a instala莽茫o de um dispositivo teatral que funcionava, antes de mais, como espa莽o de jogo, acolhendo jogos infantis, can莽玫es, dan莽as, jogos de sedu莽茫o, futebol鈥 e naturalmente o jogo teatral. Ora, 茅 precisamente na articula莽茫o destes dois elementos 鈥 partitura-arquivo e dispositivo teatral 鈥 que reside o maior interesse deste espect谩culo. Ao utilizar os documentos num contexto de jogo l煤dico, Mitrovi膰 fazia com que o dispositivo teatral desactivasse o uso do documento enquanto 鈥渕aterial real鈥 (por exemplo, um capacete de soldado da Segunda Guerra Mundial), abrindo-o a um novo uso poss铆vel (a um uso teatral), criando uma tens茫o entre o documento e o jogo, o real e a fic莽茫o, o tr谩gico e o c贸mico, o 铆ntimo e o pol铆tico. Desta forma, o car谩cter documental do espect谩culo parecia ficar momentaneamente suspenso, sendo reactivado logo a seguir atrav茅s, por exemplo, de relatos autobiogr谩ficos dirigidos ao p煤blico.

Pr贸ximo dos espect谩culos p贸s-pol铆ticos cada vez mais frequentes na cena contempor芒nea, onde o testemunho e o depoimento adquirem n茫o raras vezes um valor absoluto, Will You Ever Be Happy Again? distingue-se pela cria莽茫o permanente de um espa莽o entre o documental e o teatral 鈥 que mais n茫o 茅 do que o espa莽o privilegiado do espectador. Experimental e inquieto, o teatro performativo de Sanja Mitrovi膰 茅 (tamb茅m) um lugar de pensamento.

*Tradutora, professora no Instituto de Estudos de Teatro da Universidade Sorbonne Nouvelle 鈥 Paris III.

_

13+14 Maio 2011
Teatro Carlos Alberto

WILL YOU EVER BE HAPPY AGAIN?

conceito, texto e dire莽茫o Sanja Mitrovi膰
coprodu莽茫o Stand Up Tall Productions, Center for Cultural Decontamination, hetveem theater
Odisseia: Teatro do Mundo

_

in O Elogio do Espectador: 100 espet谩culos, 100 testemunhos, 100 fotografias Cadernos do Centen谩rio | 1

_

fotografia Jo茫o Tuna